quarta-feira, 30 de março de 2011

Tecnologia da informação ganha impulso com Copa 2014

Notícias
Mapeamento de oportunidades do Sebrae mostra 105 oportunidades de negócios para este setor da economia
Regina Xeyla
Rio de Janeiro - Desenvolvimento de softwares, projetos e assistência técnica, manutenção e suporte. Essas são algumas das 105 oportunidades que podem ser aproveitadas pelas pequenas empresas do setor da tecnologia da informação (TI) nos períodos pré e durante Copa do Mundo de 2014. As empresas que em decorrência da competição se tornarem mais competitivas também terão oportunidades a longo prazo.
Essas informações constam no ‘Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede’, encomendado pelo Sebrae à Fundação Getúlio Vargas (FGV). Tecnologia da Informação é um dos nove setores da economia em que o Sebrae trabalha para identificar possibilidades de negócios e capacitar pequenas empresas.
O avanço das tecnologias digitais, de mobilidade, de conectividade, de interatividade, de convergência e das redes sociais irá proporcionar oportunidades nas 12 cidades-sede. No mapeamento, está identificado o conjunto das principais atividades da cadeia de tecnologia da informação, sendo 105 atividades apontadas como potencial atuação das pequenas empresas.
“A Copa e seus investimentos vão permitir a criação de novos produtos e serviços e a melhora na qualidade dos que já existem. Tornar as pequenas empresas mais competitivas e inovadoras é o grande desafio do Sebrae. O evento esportivo inaugura essa jogada”, destaca Vinicius Lages, gerente de Serviços da instituição.
Oportunidades

Para mapear as oportunidades foram considerados diferentes tipos de demandas do setor para a Copa do Mundo de 2014. Essas demandas podem surgir do poder público, em obras como estruturação de estádios e centros de mídia. Também tendem a vir da iniciativa privada, pelas necessidades das empresas e consumidores finais por soluções de tecnologia da informação, como transmissão de dados e desenvolvimento de softwares e serviços.
Em software, o mapeamento identificou oportunidades decorrentes dos investimentos de adequação do evento e de setores relacionados indiretamente à competição futebolística, como hotéis, bares, restaurantes, turismo e saúde. Essas oportunidades encontram-se, principalmente, nas áreas de desenvolvimento de software. Da mesma forma, as oportunidades surgem para pequenas empresas que já possuem pacotes prontos e customizáveis para as atividades mais usuais, como soluções de gestão hoteleira e de saúde.
As áreas de assistência técnica, manutenção e suporte correspondem a um bom campo de atuação para as pequenas empresas. No entanto, exigirão maior aperfeiçoamento técnico de profissionais para potencializar sua atuação nessas atividades. O mapeamento demonstra que investir na qualidade dos serviços de assistência técnica e manutenção na área de TI pode fazer a diferença e aumentar as chances de aproveitamento de oportunidades. O nível de satisfação dos clientes com esses serviços ainda é muito baixo.

Regras do jogo
Para potencializar todas as oportunidades, as pequenas empresas precisam investir em conhecimento específico e atender a requisitos eliminatórios e classificatórios apontados pelo mapeamento. Os requisitos eliminatórios são aqueles, geralmente, de caráter obrigatório, como certidões negativas de débitos tributários federais, estaduais e municipais, Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), inscrição municipal e alvará de funcionamento.
Os classificatórios são os que agregam valor à empresa. São de três tipos: documentação específica, gestão e sustentabilidade. Na documentação específica, destacam-se a Certificação Empresarial para Gerenciamento de Serviços de TI (ISO 20.000) e a Certificação de Melhores Práticas para Desenvolvimento e Manutenção de Produtos (CMMI, MPS-BR). Nos requisitos de gestão, está o histórico de serviços prestados e treinamento de clientes para operação dos equipamentos. Nos de sustentabilidade, destacam-se a administração e utilização da TI verde e Certificação SA8000.
O mapeamento também identificou os setores em que atualmente as pequenas empresas têm maior atuação, dando escala de densidade de 0 a 1. Destacam-se operação de equipamentos de rádio, transmissão móvel externa (0,82), assistência técnica, manutenção e suporte a equipamentos móveis de transmissão de sinais de TV (0,75), suporte e manutenção de centrais telefônicas e terminais privados (0,75), aluguel de máquinas e equipamentos não especificados anteriormente (0,71) e serviço de provedores (0,82).
Serviço
Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7851/ 3243-7852/ 8118-9821
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.agenciasebrae.com.br
twitter.com/sebrae
facebook.com/SEBRAE
Fonte: Agência Sebrae

Copa aumentará substancialmente fluxo turístico no país

Notícias
Atento ao fato, Sebrae lança estudo de oportunidades para pequenas empresas no maior evento do futebol
Regina Xeyla
Rio de Janeiro - O turismo será um dos setores mais beneficiados com realização da Copa do Mundo de 2014 no Brasil. De acordo com o ‘Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede’, encomendado pelo Sebrae à Fundação Getúlio Vargas (FGV), 98 atividades do setor são promissoras para as pequenas empresas. São oportunidades que vão surgir a partir da oferta de produtos e serviços para turistas, outras empresas e organizações responsáveis pelo evento. O turismo é um dos nove setores da economia em que o Sebrae trabalha para identificar possibilidades de negócios e capacitar pequenas empresas.
As 98 atividades destacadas serão impulsionadas pelo incremento substancial do fluxo turístico no país. De acordo com o Ministério do Turismo, o número de visitantes estrangeiros tende a crescer progressivamente até 2014. Só no ano da Copa, o país espera receber 8 milhões de visitantes, sendo 600 mil apenas no mês do Mundial. O número de brasileiros que devem viajar internamente durante o evento pode chegar a 3 milhões.
Para o gerente de Serviços do Sebrae, Vinícius Lages, a Copa do Mundo é um catalisador de dinâmicas de inovação, gestão e novos modelos de negócios. “Quando eventos desse porte chegam a um país promovendo uma série de oportunidades de negócios e estabelecendo requisitos técnicos e gerenciais a serem cumpridos, temos a chance de trazer o futuro para o presente, acelerando processos que ocorreriam mais lentamente”, ressalta.
O evento apresenta boas oportunidades para as agências de viagem, tanto emissivas quanto as de receptivo. No caso das primeiras, é preciso destacar a relevância do fluxo de turistas domésticos durante o evento. Jogos não somente da seleção brasileira, como também de outros países tradicionais do futebol, podem despertar o interesse dos brasileiros e motivar viagens internas, proporcionando uma demanda extra no período dos jogos para as empresas.
Pacotes oficiais
No turismo receptivo, há duas maneiras distintas de as agências se beneficiarem das oportunidades da Copa. Em primeiro lugar, elas devem se credenciar nas operadoras internacionais que, por sua vez, são agentes credenciados do Tour Operator Programme (TOP) da Match/Fifa. Os participantes desse programa têm o direito de vender, em seus países de origem, pacotes oficiais com ingressos para os jogos da Copa do Mundo 2014. A Match, empresa responsável por assegurar acomodações à Federação Internacional de Futebol (Fifa), também contrata e reserva unidades habitacionais nos meios de hospedagem das cidades-sede.
As oportunidades também podem ser aproveitadas pelas pequenas empresas que fornecem serviços técnicos ou operacionais a outros empreendimentos do setor, como limpeza e manutenção, terceirização de mão de obra e lavanderia. Outras atividades rentáveis são as de apoio ao turismo, mais direcionadas aos próprios turistas, na promoção de passeios diversos, assim como aqueles serviços que colaboram para a competitividade de destinos turísticos, como as lan houses e as casas de câmbio.
Outra análise que o mapeamento traz é em relação ao nível de presença das pequenas empresas nas atividades analisadas, dando escala de densidade de 0 a 1. Nesse contexto, destacam-se os restaurantes e outros estabelecimentos de serviços de alimentação e bebidas como lojas de conveniência, cafeterias, sorveterias, padarias e confeitarias (0,98), serviços de aluguel de imóveis por temporada (1,00), serviços de barco-hotel (1,00), serviços de recreação para crianças (1,0), serviços de aluguel de câmeras fotográficas (0,99) e aluguel de equipamentos recreativos e esportivos (1,0).
Regras

As empresas do setor do turismo terão que atender a 139 requisitos entre eliminatórios e classificatórios. Os requisitos eliminatórios são aqueles, geralmente, de caráter obrigatório, como Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), inscrição municipal, alvará de funcionamento e participação no Cadastur (cadastro de pessoas físicas e jurídicas que atuam no setor do turismo). Segundo análise da FGV, no caso do turismo, os requisitos eliminatórios possuem uma incidência maior e são mais relevantes nas negociações envolvendo empresas do setor e outros atores ligados à organização do evento.
Os requisitos classificatórios são os que agregam valor à empresa. São de três tipos: documentação específica, gestão e sustentabilidade. Na documentação específica, destacam-se o licenciamento junto à autoridade sanitária competente e o Certificado Aventura Segura da Abeta. Nos requisitos de gestão está o benchmarking (busca de melhores práticas) e realização de treinamento interno e externo. Nos requisitos de sustentabilidade, destacam-se o apoio da empresa no combate à exploração sexual de crianças e adolescentes no turismo e a contratação prioritária de mão de obra e de fornecedores locais.
Serviço
Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7851/ 3243-7852/ 8118-9821
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.agenciasebrae.com.br
twitter.com/sebrae
facebook.com/Sebrae
Fonte: Agência Sebrae

Copa pode elevar fatia das pequenas empresas no PIB

Notícias

Mapeamento do Sebrae divulgado nesta terça-feira (29) revela 448 oportunidades de negócios para pequenas empresas em quatro setores da economia
Regina Xeyla
Rio de Janeiro - Quem tem conhecimento vai para frente e fará belos gols. Segundo o presidente do Sebrae, Luiz Barretto, essa é uma das principais constatações do para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede’, divulgado pela instituição nesta terça-feira (29), no Rio de Janeiro. De acordo com Barretto, tornar as pequenas empresas mais competitivas para aproveitar as 448 oportunidades de negócios identificadas pelo mapeamento será o grande legado da instituição.
O estudo identificou oportunidades na construção civil, turismo, tecnologia da informação e produção associada ao turismo. Ainda no primeiro semestre de 2011, serão mapeados mais cinco setores: agronegócio, madeira e móveis, têxtil e confecção, comércio varejista e serviços. Clique aqui para ler o estudo completo.
“O grande ganho será ver em 2014 as pequenas empresas mais preparadas, com melhores índices de competitividade, inovadoras e sustentáveis, superando os 20% que hoje o segmento representa no Produto Interno Brasileiro (PIB)”, afirma. Para acelerar esse processo de inteligência competitiva nas empresas, a partir de maio, o Sebrae dará início a um ciclo de encontros de negócios nas 12 cidades-sede, sendo um por cada localidade, a começar pelo Rio de Janeiro e Natal.
Nesses encontros, serão trabalhadas as atividades priorizadas pelos estados que irão sediar o evento esportivo, com a participação de empresários (fornecedores e compradores de produtos e serviços), associações de classe, bancos de financiamento e outras entidades. “Trabalhar o encadeamento produtivo será o principal foco do Sebrae. Isso gera oportunidades e negócios. Vamos realizar grandes seminários e rodadas de negócios. Não adianta o Sebrae reunir essas informações e não dialogar nas pontas ”, diz Barretto.
O mapeamento é uma das ações previstas no Programa Sebrae na Copa de 2014. Os recursos previstos pela instituição - cerca de R$ 80 milhões - serão aplicados em programas de consultoria, inovação e acesso a mercados, como o Sebrae Mais, Sebraetec, Agentes Locais de Inovação (ALI) e Centrais de Negócios. Para atender à demanda, novas soluções também poderão ser criadas.
As 448 oportunidades de negócios foram extraídas de uma lista de atividades nas quais essas empresas podem empreender com grande chance de sucesso. Esses segmentos incluem as compras governamentais (com as garantias previstas na Lei Geral da Micro e Pequenas Empresas) e os negócios diretamente com o mercado – que representam a maior parte das oportunidades.
Sobre esse aspecto, o presidente do Sebrae citou o Projeto de Lei Complementar 591/10, em tramitação na Câmara dos Deputados. Entre as alterações previstas no PLP está o aumento do limite da receita bruta anual das microempresas para inclusão no Simples Nacional de R$ 240 mil para R$ 360 mil, das pequenas empresas de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões e do Empreendedor Individual, de R$ 36 mil para R$ 48 mil. Leia mais sobre o PLP 591/10 aqui.
Serviço
Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7851/ 3243-7852/ 8118-9821
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800//
www.agenciasebrae.com.br
twitter.com/sebrae
facebook.com/Sebrae
Ouça matéria de rádio sobre o Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede
Fonte: Agência Sebrae

José Alencar: um grande homem e empreendedor

Notícias
História do ex-vice-presidente se assemelha a de todos os brasileiros que acreditam na força do empreendedorismo para construir um país cada vez mais rico e desenvolvido
Da Redação
Brasília - O Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) lamenta com profundo pesar o falecimento do ex-vice-presidente da República, José Alencar Gomes da Silva, aos 79 anos, na tarde desta terça-feira (29), em São Paulo.
Nós que trabalhamos diariamente pelo sucesso dos pequenos empreendedores não poderíamos deixar de enaltecer o legado deixado por este brasileiro nascido em Muriaé, na Zona da Mata Mineira.
José Alencar revelou ainda jovem seu lado empreendedor, quando aos 14 anos decidiu trabalhar como vendedor de tecidos. Logo depois, abriu uma pequena loja, em Caratinga (MG), e anos mais tarde, com muito esforço e dedicação, tornou-se dono de um dos maiores grupos têxteis do Brasil, a Coteminas.
Sua história se assemelha a de todos os brasileiros que acreditam na força do empreendedorismo para construir um país cada vez mais rico e desenvolvido.
Que Deus conforte sua família e amigos, e que sua história de luta pela vida e de empreendedorismo seja lembrada para sempre por todos os brasileiros.
Luiz Barretto, presidente do Sebrae
Fonte: Agência Sebrae

segunda-feira, 28 de março de 2011

Lucros devem crescer com a adoção de normas internacionais

Notícias

Jornal do Comércio - RS
Fonte: CFC


As empresas brasileiras de capital aberto, que vivem um momento operacional de bons resultados, contarão no decorrer deste ano com mais um fator positivo. Até o fim de março, devido à segunda fase de adoção das Normas Internacionais de Contabilidade, também conhecidas como IFRS (International Financial Reporting Standards), os resultados financeiros que serão apresentados por essas empresas contarão com um elemento suplementar que impulsionará o lucro das companhias de capital aberto, com o abatimento de despesas extras nas demonstrações financeiras. O presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo (CRC/SP), Domingos Orestes Chiomento, fala sobre como as empresas podem crescer e tirar proveito da adoção das Normas Internacionais de Contabilidade.

JC Contabilidade - De que forma a adoção das Normas Internacionais de Contabilidade podem influenciar nos resultados das empresas?
Domingos Orestes Chiomento - A partir da adoção das Normas Internacionais passamos a ter duas formas de resultados, societário e fiscal. Neste sentido, o resultado societário deve evidenciar a essência econômica, pois com a adoção das Normas Internacionais prevalece a essência sobre a forma jurídica de como ele é realizado. Com o advento da Lei 11.638/07, Lei das Normas Brasileiras de Contabilidade, por exemplo, a depreciação do maquinário é de acordo com a vida útil do bem. Dentro desse novo conceito prevalece a essência (vida útil) sobre a forma (10% ao ano). Em princípio, como os conceitos de apropriação de custo (principalmente quanto às depreciações, leasing e avaliação de estoques) mudaram completamente o resultado, podendo ser na maioria das vezes maior que no balanço fiscal, o ajuste é feito pelo Livro de Apuração do Lucro Real. Mas não são apenas os lucros empresariais que devem aumentar com a adoção das novas normas contábeis. As notas explicativas que acompanham os balanços também crescerão, uma vez que, ao apresentar o balanço completo, a Norma Internacional será bem mais exigente no que diz respeito à divulgação de dados.

Os lucros aumentam significativamente por causa do pronunciamento técnico CPC 15, que rege os registros e as divulgações pertinentes às demonstrações contábeis. A norma disciplina que as transações de combinação de negócios devem ser contabilizadas considerando-se a essência econômica, independentemente da forma elegida para concretizá-la. Essa regra traz um efeito extremamente positivo para os balanços, já que trata do que é denominado pelos profissionais da Contabilidade de "combinações de negócios". A norma inclui aquisições, fusões, cisões e incorporações e traz o fim da amortização do ágio, gerada nas aquisições. Como esse abatimento, que causava uma despesa extra na demonstração de resultados, deixa de existir, automaticamente o lucro das empresas aumenta, de forma gradativa.

Contabilidade - Quais são as principais características das Normas Internacionais?
Chiomento - As Normas Internacionais de Contabilidade colocarão os balanços das empresas brasileiras no mesmo padrão contábil utilizado em cerca de 100 países. Este processo exigirá mudanças na forma de agir e pensar dos contadores. Hoje os profissionais devem produzir informações contábeis com muita objetividade, tendo como premissa básica a ética profissional. Desta forma, é preciso ter plena convicção do valor econômico financeiro daquilo que está sendo contabilizado. Por enquanto, as empresas de capital aberto, por conta das exigências legais, estão caminhando à frente nesse processo. Logo atrás virão as instituições financeiras, seguidas de pequenas e médias empresas. A partir de agora os balanços beneficiarão os acionistas, uma vez que haverá mais informação de interesse dos investidores. Os valores estarão mais próximos da realidade. O principal ponto a respeito do IFRS, portanto, é que ele traz para o presente aqueles valores que foram gerados anteriormente. Outra característica das Normas Internacionais é o fim do "meramente contábil". Este fator sepulta de vez o valor histórico, trazendo o valor de mercado no momento que está encerrando o balanço societário.

Contabilidade - Qual a importância da adoção do IFRS para as empresas?
Chiomento - A importância de sua adoção é harmonização internacional da Contabilidade e dos atos e fatos econômicos e financeiros gerados no período que está sendo apresentado. Com a implantação das Normas Internacionais, a leitura das peças contábeis também ficou mais fácil de ser interpretada pelos investidores em geral, oferecendo maior segurança no que diz respeito aos investimentos.
Esse novo modelo representa confiança e credibilidade por parte de quem utilizará as demonstrações financeiras, como os bancos, órgãos governamentais, empresas de capital aberto e o mercado como um todo.

Comissão aprova parecer do relator do PLP 591/10

Notícias

Projeto prevê a ampliação de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões o teto da receita bruta anual das micro e pequenas empresas para inclusão no Simples Nacional
Dilma TavaresBrasília - A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados aprovou, na última quarta-feira (23), o parecer do relator do Projeto de Lei Complementar (PLP) 591/10, deputado Homero Pereira (PR/MT).
O parecer foi aprovado com quatro emendas supressivas. Uma delas retira a possibilidade de produtores rurais pessoa física serem equiparados a micro ou pequena empresa com a opção pelo simples rural. Uma das justificativas é de que o projeto não explicita quais alíquotas de tributação seriam aplicadas a esse público.
Ele também retira a criação do trabalhador rural avulso, sob a justificativa de que eles ficam equiparados ao trabalhador com vinculo empregatício. Uma terceira supressão retira a permissão para que cooperativas sejam incluídas no Simples Nacional. A alegação é de que dentro do sistema elas terão que pagar “mesmo que de forma reduzida, o Imposto de Renda e a Contribuição Social Sobre o Lucro, tributos que não são devidos por não terem base de cálculo para isso”.
A quarta supressão retira a expressão “artesanal” para aguardentes – o projeto permite a entrada desse tipo de bebida no Simples Nacional. A justificativa do deputado é de que essa menção “estará em desacordo com as legislações em vigor para a aguardente de cana e também com o texto do Projeto de Lei da Cachaça (PL-1.187/2007).
O projeto tramita em mais três comissões da Câmara: Desenvolvimento econômico, Indústria e Comércio; Finanças e Tributação e Constituição e Justiça.
O PLP altera a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. Entre as mudanças, prevê a ampliação de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões o teto da receita bruta anual das micro e pequenas empresas para inclusão no Simples Nacional e aumenta de R$ 36 mil para R$ 48 mil o teto da receita bruta anual do Empreendedor Individual.
O projeto também cria o simples rural, equiparando o produtor rural de pequena propriedade aos pequenos negócios urbanos para os efeitos da lei da pequena empresa, incluindo o acesso às compras governamentais.
Serviço
Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7851/ 3243-7852/ 8118-9821/ 9977-9529
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.agenciasebrae.com.br
twitter.com/sebrae
facebook.com/sebrae
Fonte: Agência Sebrae

Prorrogado prazo para entrega da declaração do Simples

Notícias

Decisão foi tomada nesta sexta-feira (25) e deverá ser publicada no diário Oficial da União de terça-feira (29)
Dilma TavaresBrasília - O Comitê Gestor do Simples Nacional prorrogou, de 31 de março para 15 de abril, o prazo para que as micro e pequenas empresas entreguem a Declaração Anual do Simples Nacional (DASN). A prorrogação foi definida nesta sexta-feira (25) e deverá ser publicada no Diário Oficial da União da próxima terça-feira (29).
De acordo com o secretário executivo do comitê, Silas Santiago, a decisão leva em conta problemas operacionais, ocorridos nos dias 22 e 23, que dificultaram o envio das declarações. O documento é enviado pela internet por meio do site da Receita Federal do Brasil (www.receita.fazenda.gov.br), via portal do Simples Nacional.
“Contadores explicaram o problema, o comitê analisou e decidiu prorrogar para que isso não acarrete prejuízo às empresas”, explica Silas Santiago. Conforme o secretário, das cerca de 3,6 milhões de empresas que precisam entregar a declaração 1,6 milhões já prestaram contas ao fisco. A expectativa é que até o dia 15 de abril esse número chegue a três milhões.
Empreendedor Individual
O prazo para a entrega de declaração de receita do Empreendedor Individual não mudou, continua dia 31 de maio. Até o último dia 23 deste mês, dos 809.844 empreendedores que precisam e deveriam entregar o documento 534.997 prestados contas à Receita.
Serviço
Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7851/ 3243-7852/ 8118-9821
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.agenciasebrae.com.br
twitter.com/sebrae
facebook.com/Sebrae
Fonte: Agência Sebrae

MS incentiva desenvolvimento por meio da Lei Geral

Notícias

Acabam nesta segunda (28) inscrições para que municípios com menos de 50 mil habitantes possam participar de projeto realizado pelo Sebrae no estado
Janaína MansilhaCampo Grande - Termina nesta segunda-feira (28) prazo para as prefeituras do Mato Grosso do Sul apresentarem suas propostas para participar do Projeto de Apoio ao Desenvolvimento Econômico dos Municípios de MS Fundamentado na Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Prolocal). Realizada pelo Sebrae no estado, a iniciativa prevê a aplicação de R$ 5 milhões em ações direcionadas a localidades com até 50 mil habitantes.
O objetivo do Prolocal é contribuir para o desenvolvimento econômico e sustentável dos municípios a partir da implantação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa. Vinte e uma cidades podem ser selecionadas para receber acompanhamento técnico durante três anos por meio de palestras, cursos e eventos de capacitação; de equipes e agentes de desenvolvimento municipais; e de comitês de gestão. Todas as atividades previstas estarão relacionadas ao desenvolvimento territorial e à Lei Geral, como cursos para lideranças que abordam o empreendedorismo, as características e a importância das micro e pequenas empresas.
A finalidade do Prolocal, segundo o superintendente do Sebrae no Mato Grosso do Sul, Claudio Mendonça, é preparar a iniciativa pública para elaborar projetos de captação de recursos para o desenvolvimento dos municípios e orientar o mapeamento e prospecção de fontes de financiamento. “Vamos gerar conhecimento qualificado para dinamizar as economias locais a partir da identificação e promoção das oportunidades de negócios emergentes”, diz Mendonça.
Seleção das propostas
Em Mato Grosso do Sul, 73 municípios possuem menos de 50 mil habitantes. A Lei Geral está regulamentada em 43 destes. Dentre os critérios que serão utilizados na seleção das propostas aparecem o estágio atual de implantação da Lei, as experiências municipais em processos de apoio a micro e pequenas empresas, as parcerias que serão estabelecidas para implantação do projeto e o perfil do agente de desenvolvimento local designado para o trabalho.
As prefeituras interessadas em participar do Prolocal podem acessar o edital de chamada pública 001/2011, de 14 de março, disponível no portal do Sebrae no Mato Grosso do Sul.
Serviço
Os envelopes com as propostas devem ser encaminhados pessoalmente ou pelo correio para a sede da instituição, na Avenida Mato Grosso, 1.661, Centro. CEP 79002-950, Campo Grande (MS). Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail: leigeral@ms.sebrae.com.br. O resultado será divulgado no site www.ms.sebrae.com.br no dia 4 de abril.
Sebrae no Mato Grosso do Sul - (65) 3648-1262  - www.mt.agenciasebrae.com.br
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800
Fonte: Agência Sebrae

Sebrae divulga mapa de oportunidades para Copa 2014

Notícias

Dados serão divulgados em coletiva de imprensa com o presidente da instituição, Luiz Barretto, nesta terça-feira (29), no Rio de Janeiro
Da Redação
Brasília - O Sebrae divulga nesta terça-feira (29) o ‘Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede’, um estudo que revela as principais atividades a serem exploradas antes, durante e depois da Copa do Mundo de 2014.
Além de identificar as oportunidades de negócios em quatro setores da economia - construção civil, tecnologia da informação, turismo e produção associada -, o mapeamento aponta também quais são os requisitos obrigatórios e classificatórios que devem ser cumpridos para que os empresários possam garantir espaço no mercado.
O mapeamento será divulgado pelo presidente do Sebrae, Luiz Barretto, durante coletiva de imprensa, às , no Hotel Sofitel, no Rio de Janeiro.

O ‘Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede’ foi encomendado pelo Sebrae à Fundação Getúlio Vargas (FGV).
Serviço
Coletiva de imprensa
‘Mapa de Oportunidades para as Micro e Pequenas Empresas nas Cidades-Sede’
Data: 29/03/11
Horário:
Local: Hotel Sofitel, sala Rio de Janeiro III.
Avenida Atlântica, 4240 , Copacabana , Rio de Janeiro
Assessoria de imprensa
Beatriz Borges (61) 9929-8678, Lucejane (61) 3243-7851 ou 8118-9821
Fonte: Agência Sebrae

Sebrae lança campanha com foco em gestão e inovação

Notícias
Estão previstas 61 inserções na TV aberta, 863 em canais por assinatura e anúncios em jornais e revistas
Tatiana Alarcon
Brasília - Neste domingo, o Sebrae lança uma nova campanha publicitária voltada especificamente para donos de pequenas empresas. Com o mote ‘O Sebrae é pra você’, a campanha aborda dois programas da instituição: o Sebrae Mais, voltado para empresas com mais de dois anos de funcionamento e que já tenham superado questões básicas de gestão, e o Sebraetec, com foco em inovação e tecnologia. Clique aqui para mais informações.
“Pesquisas mostram que proprietários de negócios com esse perfil entendem que o Sebrae é para empresas de menor porte. Por isso, o objetivo é mostrar para esse público que o Sebrae também é para ele. Vamos trabalhar para aproximar cada vez mais esse empreendedor”, explica Cândida Bittencourt, gerente de Marketing e Comunicação do Sebrae.
A campanha terá ampla divulgação. Estão previstas 61 inserções nos canais de TV aberta Rede Globo, Rede TV, Band, Record e SBT, e 863 inserções nos canais de TV por assinatura GoboNews, GNT, SportTV e Management TV. Também haverá veiculação na rádio CBN, nos jornais Brasil Econômico e Valor Econômico e encartes nas revistas PEGN, Época Negócios, Exame + PME e Exame, além de informe publicitário na IstoÉ Dinheiro.
A campanha estará presente ainda em sites na internet e em painéis nos grandes aeroportos do país. Parceria fechada com a Tam Linhas Aéreas prevê também a divulgação de mais de 90 mil inserções de um vídeo comercial em vôos da empresa durante três meses. “É uma campanha totalmente ligada às metas de mobilização do Sebrae, que marca o posicionamento da instituição em relação ao atendimento da pequena empresa”, afirma Henrique Nabuco, analista da Unidade de Marketing e Comunicação.
Serviço
Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7851/ 3243-7852/ 8118-9821
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.agenciasebrae.com.br
twitter.com/sebrae
facebook.com/Sebrae
Fonte: Agência Sebrae

terça-feira, 22 de março de 2011

Lei Geral é exemplo de reforma tributária, diz Fecomercio

Notícias
Para instituição, governo precisa cortar gastos e repensar a distribuição do bolo tributário
Beth Matias
São Paulo - A Lei Geral da Micro e Pequena Empresa deveria ser um exemplo a ser seguido entre os entes governamentais quando o assunto é reforma tributária. É o que diz nota divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio) nesta segunda-feira (21).
O texto diz que “governos (Federal, Estadual e Municipal) precisam acertar seus muitos interesses conflitantes em prol da economia nacional, reduzindo a carga tributária – não a aumentando – e simplificando os processos, extremamente burocráticos, que, hoje, estrangulam as iniciativas privadas”.
A entidade diz ver com preocupação as recentes discussões que têm atrelado a reforma tributária ao retorno da CPMF, desta vez com o nome de Contribuição Social para a Saúde (CSS). Para a Fecomercio, o governo precisa cortar gastos e repensar a distribuição do bolo tributário.
“A Fecomercio cobra uma simplificação das obrigações impostas aos contribuintes, a exemplo do que foi feito com a instituição do Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, por meio da Lei Complementar número 123 de 2006”, diz outro trecho da nota.
Serviço
Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7851/ 3243-7852/ 8118-9821
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.agenciasebrae.com.br
twitter.com/sebrae
Fonte: Agência Sebrae

sexta-feira, 18 de março de 2011

Curitiba regulamenta Lei Geral

Notícias

Solenidade de assinatura do Estatuto será na abertura da Feira do Empreendedor do Paraná, na noite desta quinta-feira

Da ASN no Paraná
Curitiba - É a vez de Curitiba reforçar ainda mais seu compromisso com o empreendedorismo e os pequenos negócios. Nesta quinta-feira (17), será assinado pelo prefeito Luciano Ducci o Estatuto da Micro e Pequena Empresa de Curitiba, na abertura oficial da Feira do Empreendedor 2011 - Paraná, às 19h30. A cerimônia acontecerá no Teatro Positivo, ao lado do Expo Unimed. O evento segue até domingo (20).

"Curitiba já oferece diversos mecanismos de incentivo aos empresários, atendendo a grande parte dos benefícios previstos pelo Estatuto. Com a assinatura, fortalecemos ainda mais o apoio do município à micro e pequena empresa", diz Luciano Ducci.

O presidente do Sebrae, Luiz Barretto, estará presente na abertura da feira. Também representam a instituição o diretor-técnico Carlos Alberto dos Santos e o diretor de Administração e Finanças, José Claudio dos Santos.

Estão confirmadas para a abertura da Feira autoridades, políticos e representantes de entidades empresariais e do Sebrae no Paraná. "A Feira do Empreendedor será lembrada pela assinatura do Estatuto da Micro e Pequena Empresa de Curitiba", ressalta Allan Marcelo Costa, superintendente do Sebrae no estado. "Que a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa de Curitiba torne-se uma realidade palpável para empreendedores e empresários com atuação na capital", reforça Allan.

A Feira do Empreendedor tem patrocínio do Banco do Brasil e apoio da Prefeitura de Curitiba e Correios, numa realização do Sebrae no Paraná.

Serviço
Informações para a imprensa:
Agência Sebrae de Notícias no Paraná (http://asn.sebraepr.com.br)
sebrae@pr.sebrae.com.br
Coordenação: Leandro Donatti - Registro Profissional 2874/11/57-PR
Telefone: (41) 3330-5895 ou (41) 9962-1754

Fonte: Agência Sebrae

Cooperativa do DF vira polo produtor de pimentão

Notícias

Apoiada por projeto do Sebrae no Distrito Federal, entidade conquista mercado brasileiro

Suendi Peres
Brasília - Produtores rurais de Planaltina, no Distrito Federal, apostaram no trabalho em grupo e hoje são um exemplo de empreendedorismo no agronegócio. Há dez anos, eles fundaram uma cooperativa agrícola, a Cootaquara, apostaram no solo ácido e transformaram dois pequenos núcleos rurais, Taquara e Pipiripau, em um dos polos de produção do pimentão no Brasil.

Além dos diversos tipos de pimentão, entre eles o roxo e o bege, a Cootaquara produz repolho, couve-flor, abóbora, cenoura e outras hortaliças. Os produtos são vendidos para grandes redes de supermercados. A entidade também foi vencedora do Premio Nacional de Qualidade de Origem na categoria Legumes, promovido pela rede Pão de Açúcar.

Atualmente, os produtores associados à cooperativa contabilizam 400 toneladas de hortaliças por mês. “Estamos expandindo. Já abrimos uma filial em Palmas, para onde enviamos legumes semanalmente”, conta o presidente da Cootaquara, Maurício Severino de Rezende.

Grande parceiro

A Cootaquara recebe apoio do Sebrae no Distrito Federal por meio de um dos programas da instituição, o Projeto de Horticultura de Planaltina e Áreas Adjacentes. “O Sebrae também é responsável pelo nosso crescimento. Está conosco desde o início nos auxiliando na gestão e na capacitação dos produtores rurais. É um grande parceiro”, elogia o presidente da cooperativa.

Para a analista de Agronegócio do Sebrae no DF Patricia Ferreira, os donos de propriedades rurais de Pipiripau e Taquara comprovam a veracidade do dito popular “a união faz a força”. Segundo ela, a decisão de trabalhar em grupo foi tomada porque ficaram evidentes as dificuldades que os pequenos agricultores enfrentavam para comercializar seus produtos junto aos canais tradicionais. “Esse é o resultado do associativismo, aplicação eficiente de gestão, fomento e fortalecimento para acesso a mercado e inovação, ferramentas oferecidas pelo nosso projeto”, conclui Patricia.

Serviço
Sebrae no Distrito Federal - (61) 3362-1600
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800
Assista a um vídeo que mostra o papel do associativismo

Fonte: Agência Sebrae

Prêmio MPE Brasil registra quase 100 mil inscrições

Notícias
Premiação será entregue nesta terça-feira (22), com homenagem a empresas que se destacam na gestão dos negócios

Das Assessorias de Imprensa do Sebrae, MBC e FNQ
Brasília - A capital do Brasil recebe empresários de todo o país para o 8° Reconhecimento e Premiação Nacional para Micro e Pequenas Empresas. O evento será realizado nesta terça-feira (22 de março) e vai homenagear os empresários vencedores das etapas estaduais do MPE Brasil – Prêmio de Competitividade às Micro e Pequenas Empresas. Esta edição bateu recorde de inscrições, com mais de 99 mil candidatas em todo o país. As 130 empresas que receberam o reconhecimento estadual agora têm a chance de se tornarem destaque nacional. A iniciativa é uma parceria do Sebrae, Movimento Brasil Competitivo (MBC), Gerdau e da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ).

O Prêmio é composto por oito categorias (Indústria, Comércio, Serviços, Turismo, TI, Saúde, Educação, Agronegócio) e um destaque em Responsabilidade Social. A iniciativa funciona como incentivo para as empresas brasileiras de pequeno porte, reconhecendo sua importância e os resultados alcançados com a utilização dos conceitos de gestão, excelência e competitividade.

As candidatas são avaliadas pela qualidade da gestão e a capacidade empreendedora do empresário, por meio da utilização do questionário de auto-avaliação, com base no Modelo de Excelência da Gestão (MEG). Foi desenvolvida uma metodologia de avaliação das empresas padronizada nacionalmente para o Prêmio, utilizando critérios internacionalmente reconhecidos. Ao final do processo de avaliação, os gestores recebem um retorno com análises mercadológicas e possíveis oportunidades de negócios.

Para os organizadores do Prêmio, a crescente participação das micro e pequenas no MPE Brasil revela que os empresários estão cada vez mais conscientes da importância de buscar a excelência da gestão de seus negócios. “As empresas têm a oportunidade de melhorar o desempenho, aumentar sua competitividade e visibilidade no mercado brasileiro, além de utilizar sistema de gestão alinhado aos princípios de excelência”, ressalta o diretor-executivo da FNQ, Ricardo Corrêa.

Erik Camarano, diretor-presidente do MBC, acredita que a iniciativa abre portas para a construção de uma cultura de inovação e empreendedorismo no Brasil: “Os gestores contribuem não apenas para suas empresas, mas para a melhoria do ambiente de negócios, gerando o desenvolvimento sustentável do país”.

“Já estamos muito próximos de 100 mil empresas inscritas, o que demonstra a representatividade do prêmio e a busca constante das MPE por inovação e desenvolvimento. Quanto mais preparadas, melhores as condições para competirem no mercado”, afirma Luiz Barretto, presidente do Sebrae.

Mais informações neste link.

Serviço

8º Reconhecimento e Premiação Nacional às Micro e Pequenas Empresas
Data: 22 de março de 2011
Local: Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, Salão Brasil
Horário: 19h30

Agência Sebrae de Notícias: (61) 3243-7851/ 3243-7852/ 8118-9821
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
www.agenciasebrae.com.br
twitter.com/sebrae
facebook.com/Sebrae
www.sebrae.com.br/setor/apicultura

Fonte: Agência Sebrae

quinta-feira, 17 de março de 2011

Feira do Empreendedor 2011 começa hoje no Paraná

Notícias
Evento oferece gratuitamente em Curitiba, de 17 a 20 de março, atendimento, palestras, oportunidades de negócios, informações e atividades inovadoras

Da Redação
Curitiba - Empreendedores e empresários de micro e pequenas empresas, formais e informais, participam, de 17 a 20 de março, da Feira do Empreendedor 2011 – Paraná, uma realização do Sebrae/PR, no Expo Unimed, em Curitiba. O evento, que faz parte de um circuito nacional, está em sua quinta edição no Paraná e reúne, num só lugar, oportunidades de negócios, conhecimento e inovação, para atender empreendedores que sonham ser donos do próprio negócio e empresários que querem ampliar empreendimentos.

"Serão quatro dias dedicados à difusão do empreendedorismo, disseminação do conhecimento, oferecimento de soluções empresariais, e estímulo, surgimento, ampliação e diversificação de novos negócios", diz Allan Marcelo de Campos Costa, diretor-superintendente do Sebrae/PR.

Uma estrutura especial de atendimento será oferecida pelo Sebrae/PR para informar e orientar os visitantes. A equipe, formada por 25 consultores, atenderá, num espaço exclusivo, empreendedores e empresários de micro e pequenas empresas que terão também, à disposição, um mix de mais de 100 oportunidades de negócios, selecionadas para todos os gostos e bolsos. São franquias, representações comerciais, revendas, serviços, licenciamentos de marcas e patentes.

Mais de 130 palestras sobre gestão, marketing e finanças, dentre outros temas, e sobre oportunidades de negócios serão realizadas, totalizando 19 mil vagas, oferecidas em oito salas de treinamento, uma especial para jovens empreendedores. Está prevista também a realização de três palestras-magna, com capacidade para 2,4 mil pessoas cada. Paulo Henrique Amorim, Max Gehringer e o sócio do site de compras coletivas Peixe Urbano, Emerson Andrade, formam o ‘time’ de especialistas que falarão sobre economia e empreendedorismo na Feira do Empreendedor.

A Feira do Empreendedor 2011 – Paraná acontece de 17 a 20 de março, no pavilhão de exposições do Expo Unimed, na Universidade Positivo – Rua Professor Pedro Viriato Parigot de Souza, nº 5.300 – Campo Cumprido. A abertura será no dia 17, quinta-feira, às 19h30. O evento é uma realização do Sebrae/PR, com patrocínio do Banco do Brasil e apoio da Prefeitura de Curitiba e Correios. Para saber mais sobre o maior evento de empreendedorismo do Estado, acesse o hotsite www.sebraepr.com.br/feira.

Calendário do evento em 2011
Curitiba - Paraná
17 a 20 de março

Maceió – Alagoas
29 de setembro a 2 de outubro

Cuiabá – Mato Grosso
17 a 21 de agosto

Brasília – Distrito Federal
5 a 9 de outubro

Salvador - Bahia
4 a 8 de outubro

Macapá - Amapá
18 a 22 de outubro

João Pessoa – Paraíba
Outubro

São Luis - Maranhão
13 a 16 de outubro

Informações para imprensa:
Agência Sebrae de Notícias no Paraná (http://asn.sebraepr.com.br)
sebrae@pr.sebrae.com.br
Coordenação: Leandro Donatti - Registro Profissional 2874/11/57-PR
Telefone: (41) 3330-5895 ou (41) 9962-1754

Fonte: Agência Sebrae

quarta-feira, 16 de março de 2011

Receita vai fiscalizar escritórios de contabilidade

Notícias
INFOMONEY 16/03/2011 00h00
A Receita Federal vai acompanhar a movimentação de entrega de declarações de Imposto de Renda pelos escritórios de contabilidade suspeitos de cometerem fraudes. O objetivo é evitar que os clientes recebam restituições indevidamente.
Os escritórios investigados cometeram algumas irregularidades em anos anteriores, dentre as quais, destacam-se a simulação de despesas com médicos, clínicas, instituições de ensino e pensões alimentícias e o aumento fictício dos IR retido pelas fontes pagadoras.
Fiscalização
A Receita começou, ontem, um conjunto de ações de fiscalização, para investigar os contribuintes que aparentemente tenham sonegado o imposto.
O fisco cruzou informações de várias fontes e identificou sinais de omissão de rendimento e de redução indevida da base de cálculo do Imposto de Renda em um grande número de contribuintes.
Alguns deles deixaram de incluir grande parte dos rendimentos nas declarações. Outros incluíram deduções irreais, valores de dependentes ou despesas médicas que não existem.
Fonte: Correio do estado