sexta-feira, 29 de outubro de 2010

II Seminário Para Pequenas e Médias Empresas será realizado nos dias 29 e 30 de novembro

Notícias

II Seminário Para Pequenas e Médias Empresas será realizado nos dias 29 e 30 de novembro

 

O CFC (Conselho Federal de Contabilidade), com apoio do CRC SP, realizará, nos dias 29 e 30 de novembro de 2010, em São Paulo, o II Seminário Para Pequenas e Médias Empresas. O evento tem como objetivo formar multiplicadores das Normas Internacionais aplicadas às pequenas e médias empresas, conscientizando da importância de sua adoção no controle da situação econômica e financeira das empresas, facilitando a administração dos negócios.

As IFRS são as Normas Internacionais de Contabilidade que estão sendo adotadas por 110 países e, aproximadamente, por 100 milhões de pequenas e médias empresas. O seminário será ministrado por instrutores do Iasb (International Accounting Standards Board - Comitê de Normas Internacionais de Contabilidade).

Segundo o presidente do CFC (Conselho Federal de Contabilidade), Juarez Domingues Carneiro, que tem como um dos pilares de sua administração a disseminação de novos conhecimentos decorrentes da convergência das normas contábeis brasileiras aos padrões internacionais, este evento será de suma importância visto que é direcionado àqueles que têm a responsabilidade de dirigir os negócios das pequenas e médias empresas e aos que têm a responsabilidade de transmitir o conhecimento, como universidades e instituições ligadas aos segmentos das PMEs.

O evento é destinado aos Contabilistas das pequenas e médias empresas, professores universitários e estudantes do 6º ao 8º semestre do curso de Ciências Contábeis e será realizado no Centro de Convenções Frei Caneca. As inscrições já estão abertas e as vagas são limitadas. A arrecadação da taxa de inscrição será revertida para a campanha da classe contábil SOS Santana do Mundaú (AL) e Água Preta (PE).

Para o presidente do CRC SP, Domingos Orestes Chiomento, esta é mais uma oportunidade para transmitirmos informações sobre as IFRS. “Estamos passando por um momento de transformações, pois o Brasil aderiu às Normas Internacionais de Contabilidade. As atividades promovidas pelas entidades contábeis deixarão os profissionais mais preparados para atender às necessidades do mercado”.

Para mais informações acesse o Portal do CFC.

Serviço
Atividade: II Seminário Para Pequenas e Médias Empresas.
Data: 29 e 30 de novembro de 2010.
Horário: das 8h às 18h.
Local: Centro de Convenções Frei Caneca.
Endereço: Rua Frei Caneca, 569 (próximo ao metrô Consolação).

Fonte: CRC/SP

 

Alagoas dobra a sua meta de regulamentação da Lei Geral

Notícias
Sessenta municípios alagoanos já contam com a lei e o estado fica atrás apenas do Rio Grande do Norte no ranking de regulamentação no Nordeste
Do Sebrae/AL
Maceió - Nas últimas semanas, mais quatro municípios alagoanos aprovaram a Lei Geral Municipal - Barra de São Miguel, Santana do Mundaú, Monteirópolis e Olho D'Água Grande – e com isso, trouxeram diversos benefícios para os pequenos negócios da região. Agora, Alagoas ocupa o segundo lugar no ranking Nordeste de implementação da Lei Geral, com 58,82% de seus municípios com a legislação já regulamentada, ficando atrás apenas do Rio Grande do Norte, que tem um índice de 60,48%.
Em todo o Brasil, 2.225 dos 5.565 municípios (39,98%) aprovaram a lei. Segundo a gerente de Políticas Públicas do Sebrae Alagoas, Izabel Vasconcelos, a meta de Alagoas para 2010 era que 31 municípios regulamentassem a Lei Geral. Mas, o resultado foi muito melhor. Antes mesmo de chegar dezembro, Alagoas já conta com 60 municípios que enxergaram na lei uma ferramenta para o desenvolvimento local.
“Este marco só foi possível graças a um trabalho bem articulado entre Sebrae e as prefeituras, entre outros parceiros, que reconhecem a importância a Lei Geral. A aprovação da Lei Geral Municipal, em cada cidade, é uma conquista para todo o estado. Continuaremos com as ações de incentivo, orientando e tentando mostrar aos gestores públicos a ligação desta ferramenta com o desenvolvimento econômico local”, destacou Izabel.
Entre os benefícios trazidos para os pequenos negócios nos municípios com Lei Geral aprovada estão prioridade em licitações públicas, facilidades como desoneração tributária, simplificação do processo de abertura de empresa, regime unificado de apuração e recolhimento dos impostos e contribuições, estímulo à inovação tecnológica e acesso ao mercado, entre outros.
Em Alagoas, já contam com a Lei Geral Municipal os municípios de União dos Palmares, Santana do Ipanema, Olho d’Água das Flores, Major Isidoro, Taquarana, Delmiro Gouveia, Girau do Porciano, Palmeira dos Índios, Coruripe, Maragogi, Ibateguara, Colônia de Leopoldina, Ouro Branco, Viçosa, Feliz Deserto, Boca da Mata, Maribondo, Rio Largo, Jequiá da Praia, Piaçabuçú, Anadia, Quebrangulo, Campo Alegre, Porto Calvo, São José da Lage, Junqueiro, Senador Rui Palmeira, Olho D’água do Casado, Penedo, Roteiro, Porto de Pedras, Murici, Batalha, São Miguel dos Milagres, Inhapi, Pariconha, São Sebastião, Limoeiro de Anadia, Tanque d’arca, Jaramataia, Passo de Camaragibe, Pão de Açúcar, São Brás, Mar Vermelho, Minador do Negrão, Flexeiras, Olivença, Teotônio Vilela, Messias, Jacaré dos Homens, Barra de Santo Antônio, Jacuípe, Jundiá, Canapi, Lagoa da Canoa, Barra de São Miguel, Santana do Mundaú, Monteiropolis e Olho D’Água Grande.
A expectativa é que até o fim de 2011, todo o Estado de Alagoas tenha a Lei Geral Municipal aprovada.
Serviço:
Sebrae em Alagoas - (82) 4009-1691
Central de Relacionamento Sebrae – 0800 570 0800
Fonte: Agência Sebrae

Sebrae reforça incentivo aos municípios para regulamentar Lei da pequena empresa

Notícias

Dos mais de 5,5 mil municípios a lei está regulamentada em pouco mais de 2,2 mil. O sebrae já atuam incentiva as regulamentações especialmente nas regiões metropolitanas e agora reforça o foco nos pequenas e médias cidades

Dilma Tavares

Divulgação/CNM

Sebrae forma instrutores para incentivar a regulamentação e prátrica da Lei Geral

Brasília - Começa no dia 9 de novembro, pelo município de Santa Maria, no Rio Grande do Sul, uma sequência nacional de seminários de sensibilização de gestores públicos para a regulamentação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa (Lei Complementar 123/06) nos pequenos e médios municípios brasileiros. Essa será a primeira etapa de um programa de ações, definido por meio de convênio entre Sebrae e a Confederação Nacional de Municípios (CNM), que visa ampliar a regulamentação e prática da Lei Geral.

Em vigor desde dezembro de 2006, a lei está regulamentada em pouco mais de 2,2 mil dos mais de 5,5 mil municípios, o que não chega a 40% do total. O trabalho com a CNM integra estratégia do Sebrae para ampliar a municipalização da lei em parceria com as entidades municipalistas. O trabalho já é desenvolvido com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) nos municípios maiores, das regiões metropolitanas.

A previsão é que, a partir da ação com a CNM, em dois anos, haja a sensibilização de mil pequenos e médios municípios, com a implantação da Lei Geral em 500 deles e a formação de 800 agentes de desenvolvimento. Esses agentes estão previstos na Lei Geral e serão interlocutores entre o poder público municipal e a iniciativa privada nas ações de desenvolvimento local.

“O objetivo é incentivar a regulamentação e prática da Lei Geral, mostrando aos gestores públicos que o desenvolvimento dos micro e pequenos negócios resulta em desenvolvimento econômico e social”, explica o gerente de desenvolvimento territorial do Sebrae, Juarez de Paula. “Quando os gestores públicos se preocupam em criar um ambiente favorável aos micro e pequenos negócios, eles fortalecem a economia local”.

A ação com a CNM será realizada em 18 estados que têm maior número de municípios e que estão menos avançados na regulamentação da lei: Alagoas, Amazonas, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Sergipe, Goiás, Maranhão, Pará, Rio Grande do Sul, Paraíba, Bahia, Piauí, São Paulo e Minas Gerais.

O pacote de iniciativas prevê seminários de sensibilização de gestores públicos e cursos de Desenvolvimento Econômico Local - abrangendo informações sobre a Lei Geral, os Agentes de Desenvolvimento e a figura jurídica do Empreendedor Individual – além de curso específico sobre o capítulo V da Lei Geral, que possibilita maior acesso dos micro e pequenos negócios às compras públicas.

Primeiro grupo

O Sebrae, por meio da CNM, está formando instrutores para aplicar esses cursos. A primeira capacitação, sobre a metodologia dos seminários de sensibilização, ocorreu nos dias 26 e 27 de outubro, em Brasília. Participaram 23 instrutores dos estados de Alagoas, Amazonas, Bahia, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grade do Sul, São Paulo, Tocantins, Rondônia e Maranhão.

Eles ainda participarão dos cursos sobre desenvolvimento econômico local e sobre compras governamentais, com previsão para o primeiro semestre de 2011, “mas o trabalho de articulação com as prefeituras começa de imediato”, conforme explica Clarice Veras, analista de Desenvolvimento Territorial do Sebrae.

Calendário

Ainda para 2010 estão previstos novos seminários nos meses de novembro e dezembro. Em novembro, no Rio Grande do Sul, no município e Passo Fundo, dia 11; Alagoas, dia 22; Pará, dias 23 e 25; Bahia, Paraíba e Amazonas, dia 30. Em dezembro haverá seminários no Pará e na Paraíba, dia 1º; Bahia, Rio de Janeiro, Paraíba e Tocantins, dia 2. Prosseguem mais seminários na Bahia, Maranhão e Piauí, dia 7; Ceará, Bahia, Maranhão e Piauí, dia 9, Goiás, dia 14, Piauí, dia 15; e Goiás e Piauí ( 16).

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias - (61) 2107-9106, 2107-9110, 8118-9821 e 9977-9529
www.agenciasebrae.com.br
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800

Fonte: Agência Sebrae

 

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Empresários serão orientados sobre oportunidades geradas pela Copa de 2014

Notícias
Empresas já podem aderir a projeto do Sebrae que vai oferecer consultorias individualizadas em setores estratégicos
Carlos Baumgarten
Salvador - O Sistema Sebrae, com o apoio da Fundação Getúlio Vargas, desenvolve um projeto para ser implantado nas 12 cidades brasileiras que vão receber a Copa do Mundo de 2014 com o objetivo de orientar as micro e pequenas empresas sobre as oportunidades trazidas pelo evento. Os empresários interessados já podem fazer a adesão ao projeto, que trará informações setoriais, oferecerá consultorias individualizadas e promoverá workshops específicos para cada segmento trabalhado.
A informação foi dada pelo coordenador da Unidade Regional Metropolitana do Sebrae na Bahia, Richard Alves, durante o workshop Copa de 2014, realizado na terça-feira (26).
Conforme explicou Richard Alves, o projeto está trabalhando setores estratégicos, tais como turismo, construção civil, artesanato, confecções, cultura, comércio varejista e tecnologia da informação. As empresas que participaram do workshop receberão o termo de adesão por e-mail. Mas o Sebrae fará convites a outros empreendimentos, cujos representantes não puderam acompanhar o encontro, para que eles possam participar da iniciativa.
O coordenador afirmou que o papel do Sebrae é identificar junto às lideranças setoriais as principais oportunidades de negócios para as micro e pequenas empresas. “Trabalharemos dentro de nossa competência, que é fomentar o desenvolvimento e promover a competitividade desses empreendimentos. E a Copa de 2014 configura-se em uma grande oportunidade para todos”, disse.
Workshps setoriais
Richard destacou a apresentação de vários palestrantes do workshop, ressaltando que as oportunidades geradas pelo mundial não se resumem aos 30 dias de sua realização. “Na verdade, haverá oportunidades antes, durante e, principalmente, depois. Temos que pensar com a perspectiva do que todo esse planejamento será de grande benefício para o futuro”, apontou.
Ele explicou ainda que, a partir de 2011, começarão a ser realizados os workshops setoriais para que se identifiquem as principais ideias. “Nosso papel é orientá-los para que vocês transformem ideias em oportunidades. Teremos consultores especializados e capacitados para atendê-los, de forma que vamos apoiar no que for necessário para que as micro e pequenas empresas baianas saiam do mundial ainda mais fortalecidas”, disse Richard aos empresários, complementando que todo esse processo deve estar vinculado à valorização da cultura e dos costumes locais.
Marcos Ponce de Leon, representante da Match Services, empresa que organiza o mundial para a Fifa nos aspectos ligados a hospedagem, ingressos e tecnologia da informação, trouxe dicas importantes para os empresários. Ele disse que é importante desenvolver uma atuação articulada entre iniciativa privada e poder público para promover o destino turístico entre os visitantes. “Serão 32 seleções disputando o mundial que jogarão em intervalos de mais ou menos três dias e em locais diferentes. É preciso desenvolver estratégias para que o visitante aproveite ao máximo sua estada, de forma que ele possa ficar no local por mais tempo, e não apenas durante o período dos jogos de sua seleção”, destacou.
Ele apresentou exemplos bem-sucedidos durante a Copa de 2006, na Alemanha, quando a cidade de Colônia resolveu atrair torcedores brasileiros para se hospedarem na localidade. “Eles transformaram Colônia na cidade dos brasileiros durante a Copa, utilizando vários atrativos para atrair esse público e levando em consideração que o Brasil, historicamente, participou de todos os mundiais. Assim, mais de 5 mil brasileiros se hospedaram em Colônia durante o evento”, disse.
Planejamento
Marcos enfatizou que a Copa terá um impacto importante na geração de emprego e na qualificação de mão-de-obra. “É preciso entender que várias cadeias produtivas de diversos setores serão mobilizadas para suprir as necessidades do evento. Nesse aspecto, as micro e pequena empresas terão um grande espaço de atuação. Para isso, é necessário muito planejamento e começar a trabalhar desde já, buscando conhecer as restrições, exigências e solicitações da Fifa, que é a ‘dona da bola’”, apontou.
O workshop foi uma oportunidade para apresentar a visão de vários setores sobre as oportunidades de negócio que surgem com o mundial, como a dos empresários, do poder público e de quem organizou a Copa do Mundo na África do Sul, como Claude Jerome Petrorius, diretor de Marketing, Comunicação e Relações Públicas da Fifa WC 2010 na Província de KwaZulu, e Franco Jordaan, diretor do Board da TOMSA – Tourism Marketing Levy South África. Os empresários puderam também debater suas ideias, apontar sugestões e tirar dúvidas com os expositores.
Serviço:
Sebrae na Bahia: (71) 3320 4367
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
Fonte: Agência Sebrae

Rio desenvolve projeto de implementação prática da Lei Geral

Notícias
Metodologia criada pelo Sebrae Paraná e adaptada pelo Sebrae Rio prevê um detalhado diagnóstico do ambiente institucional local e um levantamento dos estágios da Lei Geral em cada município
Da Redação
Rio de Janeiro - Depois de atuar pela aprovação da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa, o Sebrae Rio de Janeiro começa um trabalho junto aos mais de 70 municípios que já fizeram a regulamentação, para que implementem efetivamente os benefícios previstos na Lei, como desoneração tributária, simplificação do processo de abertura de empresas, alteração e encerramento de empresas, facilidade de acesso ao crédito e ao mercado, preferência em compras governamentais, estímulo à inovação tecnológica, incentivo ao associativismo e regulamentação do Empreendedor Individual.
Para isso, a entidade está lançando o projeto Lei Geral – Programa de Desenvolvimento Municipal e Fortalecimento das MPE. A metodologia – criada pelo Sebrae Paraná e adaptada pelo Sebrae Rio – prevê um detalhado diagnóstico do ambiente institucional local e um levantamento dos estágios da Lei Geral em cada município. Também é formado um comitê gestor municipal, constituído por integrantes que efetivamente possam influenciar na implantação da Lei em cada localidade, que será responsável por elaborar planos de ação para cumprir esse objetivo.
O piloto do projeto será realizado em nove municípios do estado. O lançamento já foi feito em Queimados, Barra Mansa e Cordeiro. Nesta quinta (27), será a vez de Teresópolis. Em novembro, serão realizados lançamentos em Tanguá, Bom Jesus de Itabapoana, São João da Barra, Três Rios e Búzios.
Serviço:
Sebrae no Rio de Janeiro - (21) 2212-7700
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800 

Palestra assinala importância da inovação e das pessoas

Notícias
Empresária Luiza Trajano abordou perfil do profissional e dos empreendimentos de sucesso durante abertura da Feira do Empreendedor de Pernambuco
Do Sebrae/PE
- A empresária Luiza Trajano, da rede Magazine Luiza, foi o destaque na programação do primeiro dia da Feira do Empreendedor, ontem (27). Durante palestra magna, ministrada no Teatro Guararapes, no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda, o evento reuniu um público de mais de 2 mil pessoas. Na ocasião, Luiza apresentou o tema “O perfil das empresas do profissional de sucesso na economia contemporânea”. A Feira do Empreendedor segue até sábado (30).
Durante sua fala, a empresária destacou o papel do Sebrae e comentou ações promovidas em sua empresa que garantem o sucesso da marca. Ela ressaltou a diversidade da cultura brasileira, associada à criatividade e à inovação. Sobre a visão da economia brasileira, Luiza é otimista e acredita em um futuro promissor. Para ela, mercado, inovação e pessoas são palavras-chave na empresa.
“A tecnologia é uma realidade, mas o que vai diferenciar um profissional e uma empresa é o conhecimento em pessoas e inovação. É preciso inovar. E inovar não é só tecnologia. É inovar no dia a dia, na forma de venda. Tem que ser empreendedor e se reinventar sempre”, pontuou a empresária durante a palestra de abertura.

Ainda durante sua exposição, Luiza Trajano detalhou o perfil do profissional de sucesso, despertando o público para características importantes nesse sentido. Segundo ela, os empreendedores precisam transformar dificuldades em alternativas e oportunidades.
Para o superintendente do Sebrae em Pernambuco, Nilo Simões, também presente na abertura da Feira do Empreendedor, o evento é uma porta de entrada para todos que acreditam no empreendedorismo e que estão iniciando os primeiros passos em direção ao futuro. “Aqui estão disponíveis todos os ambientes possíveis para a geração de oportunidades de negócios, propícios a novas idéias”.
Serviço:
Sebrae em Pernambuco - (81) 2101-8499
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800
Fonte: Agência Sebrae
 



Agência Rodrigo Moreira

Palestra magna marcou abertura da Feira do Empreendedor de Pernambuco
Recife

Feira do Empreendedor reúne mais de 250 atividades gratuitas

Notícias

Sebrae em Pernambuco realiza o maior evento de empreendedorismo no País, com destaque para capacitações e dicas de negócios

Do Sebrae/PE

Olinda - "Faça diferente. Aqui você pode". Com este recado ao visitante, o Sebrae em Pernambuco realiza a Feira do Empreendedor 2010 até o próximo sábado (30), no Centro de Convenções, em Olinda, com patrocínio nacional do Banco do Brasil e estadual da Caixa Econômica e Banco do Nordeste. A Feira volta a Olinda depois de quatro anos com mais de 250 atividades. 

O evento é promovido pelo Sistema Sebrae em todo Brasil. Com realização do Sebrae em Pernambuco a Feira do Empreendedor chega à sua 7ª edição no estado. A Feira é realizada com parceria e apoio de várias instituições.

Com público esperado de 25 mil visitantes, para percorrer os 12 mil m² de área utilizada do pavilhão do Cecon/PE, sendo 4,8 mil m² o total de área montada, um dos destaques apresentados pelo Sebrae é a difusão do Empreendedor Individual. Até esta semana já foram realizados mais de 23 mil cadastros no estado, o que se considera um ritmo acelerado, pelo fato deste processo ter começado em Pernambuco em fevereiro.

Para a Feira do Empreendedor, espera-se alcançar 100 cadastros de emprendedores individuais nos quatro dias do evento, que terá 20 pontos para atendimento. Também serão feitas orientações pelo programa Negócio a Negócio, que tem como uma das ações o atendimento na própria empresa.

Rodadas de negócios

Uma das atrações de destaque da Feira é a realização de uma rodada de negócios entre empresários e representantes comerciais, numa parceria do Sebrae, Rede Comércio Brasil e Conselho de Representantes Comerciais (Core). Estima-se que a rodada gere R$ 400 mil em negócios entre grande varejistas e pequenas empresas.

Várias atividades, muitas oportunidades e áreas criadas para dar visibilidade a projetos, serviços, ferramentas, soluções empresariais e expositores. Tudo isso, nos salões como a inventividade e a atualização de negócios utilizando a web (Arena Virtual); das perspectivas de novos negócios com a Copa de 2014 (Arena da Copa); das Dicas de Negócios, espaço que apresenta informações sobre 700 pequenas atividades econômicas em variadas faixas de investimentos; a área de expositores de máquinas, equipamentos, porta a porta (venda direta), franquia, entre outras novas chances de microinvestimentos.

Este ano, uma nova área apresenta as Soluções Sebrae, com serviços e produtos da entidade voltados para cada público que procura informações sobre pequenos negócios, em diferentes escalas de conhecimento e de interesses. Na Feira, são mais de 200 estandes no total, sendo 113 de empresas expositoras.

Serviço:

Feira do Empreendedor de Pernambuco

Programação, informações e inscrições para cursos: www.feiradoempreendedorpe.com.br

Para saber mais sobre a Feira do Empreendedor 2010
www.feiradoempreendedorpe.com.br
www.pe.agenciasebrae.com.br
@sebraepe

Fonte: Agência Sebrae

 

 

Fundo de Financiamento do Nordeste fomenta negócios em regiões menos assistidas por crédito

Notícias
Com apoio do Sebrae, FNE Itinerante percorrerá 11 municípios nordestinos até o fim do ano para oferecer financiamento e orientação a micro e pequenas empresas
Fábio Vasconcelos
Salvador - Com o objetivo de fomentar as micro e pequenas empresas do Nordeste do Brasil, alavancando mais negócios em regiões menos assistidas por programas de crédito, o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), vai percorrer, inicialmente, 11 cidades da região até o final de 2010.
O ‘FNE Itinerante’ vai começar as ações pelo município de Delmiro Gouveia, em Alagoas, no dia 9 de novembro. O projeto é uma iniciativa do Banco do Nordeste (BNB), agente financeiro do fundo, em parceria com o Sebrae e a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).
A ideia de se deslocar até os municípios é tornar o FNE mais acessível e conhecido. As ações na Bahia, que incluem informações sobre o projeto e serviço de atendimento ao público, acontecem no dia 16 de dezembro. Serrinha vai ser a cidade-sede, mas será uma oportunidade também para empresários de Araci, Conceição do Coité, Teofilândia, Biritinga, Ichu, Água Fria, Lamarão e Candeal se beneficiarem.
Impulso econômico
De acordo com o gerente executivo do BNB na Bahia, José Meneses Júnior, o foco do projeto é alcançar cidades que ainda precisam de um impulso econômico. A estimativa é de que, aproximadamente, mil empresários da região de Serrinha sejam atendidos pelo FNE Itinerante.
“É um município que, apesar de pouco assistido, tem muito potencial de crescimento, tanto na área industrial, quanto no comércio e nos serviços”, afirma. Segundo Meneses Júnior, o programa pretende “melhorar as condições de trabalho dos empreendedores para que desenvolvam suas atividades de forma estruturada”.
Durante a manhã desta quarta-feira (27), no auditório do BNB Bahia, no Comércio, aconteceu a 4ª Videoconferência do FNE Itinerante, reunindo representantes de todos os estados da Região Nordeste envolvidos no projeto. O objetivo da reunião foi reforçar a importância do trabalho conjunto, envolvendo o banco e os parceiros, além de ajustar detalhes para a efetivação das ações.
O diretor de Suporte do Sebrae na Bahia, Antonio Marcos de Almeida, acredita que o programa é a materialização de uma grande demanda dos empresários de micro e pequenas empresas. “É uma chance para os empreendedores da região de Serrinha buscarem orientação e o crédito ideal para seus negócios”, destaca.

Também estiveram presentes ao encontro, o assessor da diretoria de Suporte do Sebrae, Augusto Guena, a coordenadora de Acesso a Crédito, Dora Parente, e o agente de Desenvolvimento do BNB Bahia, Marcos Vinícius Bonfim.
Seviço:
Sebrae na Bahia: (71) 3320.4367
Cetral de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
Fonte: Agência Sebrae

Lei Geral garante contratos para as micro e pequenas empresas em grandes obras da Copa do Mundo

Notícias
Workshop realizado nesta terça-feira(26) na sede do Sebrae na Bahia, em Salvador, discutiu oportunidades geradas pelo evento
Fátima Emediato
Salvador - Uma das maiores preocupações dos micro e pequenos empresários que participaram nesta terça-feira (26) do workshop “Copa 2014 - Como a pequena empresa pode ganhar esse jogo”, no auditório Orlando Moscozo, sede do Sebrae na Bahia, em Salvador, era se as micro e pequenas empresas teriam oportunidade nas grandes obras que antecedem o grande evento da Copa do Mundo.
O coordenador do Comitê Técnico do Programa do Sebrae para a Copa 2014, Dival Schmidt, garantiu aos participantes que a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa prioriza a contratação de MPE em grandes obras públicas uma proporção de até 30% do valor das concorrências. “Cabe ao Sebrae , às entidades de classe e empresários organizados fazerem com que isso seja cumprido”, observou.
Dival Schmidt também garantiu que as micro e pequenas empresas locais serão ouvidas e terão a oportunidade de fazer os ajustes necessários na elaboração do diagnóstico que está sendo preparado pela Fundação Getulio Vargas para detectar oportunidades de trabalho para a Copa do Mundo na Bahia.
Também durante o debate o vice-presidente do Sindicato da Indústria de Produtos de Cimento no Estado da Bahia (Sincpocim), José Carlos Telles Soares, afirmou que para poderem usufruir das oportunidades de um grande evento como a Copa do Mundo, as empresas do setor precisam estar organizadas em sindicatos ou associações.
“Com o associativismo, as empresas tem condições de se capacitar para atender a grandes empresas e a grandes obras. Há dois anos, com o apoio do Sebrae e da Associação Brasileira de Cimento Portland, estamos participando de um programa que está melhorando a gestão e a capacidade da pequenas empresas do setor”, conta José Carlos Telles Soares.
Planejamento e Inovação
O empresário da área de Tecnologia da Informação Aníbal Sampaio também espera que as micro e pequenas empresas tenham voz neste grande evento que é a Copa do Mundo. Para ele, a inovação e o planejamento são essenciais para garantir espaço na Copa de 2014.
Aníbal lembrou que o baiano ainda não valoriza e não sabe que as empresas baianas de tecnologia da informação tem ótimos produtos e softwares, em condições de disputar com empresas do Rio e São Paulo. “Hoje 90% do faturamento da minha empresa é de fora”, afirma.
O secretário Extraordinário para Assuntos da Copa do Mundo no estado da Bahia, Ney Campello, respondeu à preocupação dos micro e pequenos empresários em relação a participação deles nas grandes obras da Copa do Mundo. Para o secretário, as grandes obras geram uma cadeia de negócios que requer a participação de muitas micro e pequenas empresas.
“O importante é que os empresários, como da construção civil, se articulem em seus seus sindicatos, para estarem preparados para o atendimento, porque vai ter muita obra até 2014 e é impossível pensar que uma grande empresa sozinha realize todas as obras de infraestrutura. Há espaço para todos. O que é preciso é que as pequenas empresas tenham planejamento e preparação porque estas obras tem prazos rigorosos”, destaca o secretário.
O workshop mostrou a visão de vários setores sobre as oportunidades de negócio, como a visão dos empresários, do poder público e de quem organizou a Copa do Mundo na África do Sul, como Claude Jerome Petrorius, diretor de Marketing, Comunicação e Relações Públicas da Copa 2010 na Província de KwaZulu, e Franco Jordaan, diretor do Board da TOMSA – Tourism Marketing Levy South África.
Uma equipe da Fundação Getulio Vargas vai mapear em Salvador, assim como nas outras 11 cidades sedes da Copa, as oportunidades em 10 setores da economia, como tecnologia da informação, comércio e serviços, para saber onde a pequena empresa pode atuar e ser fornecedora de grandes empresas destes setores.
Serviços:
Sebrae na Bahia: (71) 3320.4367
Central de Relacionamento Sebrae: 0800 570 0800
Fonte: Agência Sebrae

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Arena apresenta negócios para Copa 2014

Notícias
O livro Rindo na Copa e informações sobre oportunidades comerciais no mundial de futebol são atrações da Feira do Empreendedor em Olinda
Do Sebrae/PE
Recife - A Copa do Mundo de 2014, que ocorrerá no Brasil, vai trazer festa para o país do futebol. Mas não apenas isso. A expectativa é que o evento também atraia novos negócios. Para apresentar perspectivas aos empresários de Pernambuco, a Feira do Empreendedor traz a Arena da Copa. No espaço, serão divulgadas informações a partir de um estudo desenvolvido pelo Sistema Sebrae apontando segmentos e atividades que poderão se configurar como oportunidades e alavancar a economia do País durante a competição esportiva. A Feira do Empreendedor começa hoje (27) e segue até sábado (30) no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda.
A estrutura da Arena conta com dois telões, em que serão exibidos vídeos, imagens e entrevistas relativas à competição esportiva. No local, também acontece uma exposição do Porto Digital, onde serão apresentadas algumas das oportunidades da Copa.
A arena também será palco para o lançamento do livro de charges dos jornalistas Marcelo Cavalcante e Humberto Araújo. Em Rindo na Copa os autores mostram cenas engraçadas do evento que aconteceu na África este ano e imagens do que poderá ocorrer no Brasil.
Os interessados em saber mais sobre perspectivas de empreender na Copa também podem conferir a palestra “Oportunidades de Negócios para a Copa de 2014”, com o consultor da Fundação Getúlio Vargas Luiz Gustavo, amanhã (28), das 15h30 às 17h30, no Teatro Ribeira.
Serviço:
Sebrae em Pernambuco - (81) 2101-8499
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800
Fonte: Agência Sebrae

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Joinville (SC) recebe Seminário de IFRS

Notícias

Fabrício Santos

Cerca de 250 profissionais da contabilidade participaram, neste dia 25, no hotel Bourbon, em Joinville (SC), do seminário IFRS para Pequenas e Médias Empresas. Ministrado pelo doutor em Contabilidade Ricardo Lopes Cardoso, o curso - dividido em cinco módulos - tem como objetivo formar multiplicadores das normas internacionais aplicadas às pequenas e médias empresas (PMEs), conscientizando-os da importância da adoção dessas normas no controle da situação econômica e financeira das empresas.
IFRS 018


Durante o seu discurso, o presidente do Conselho Federal de Contabilidade, Juarez Domingues Carneiro, disse que "a aplicabilidade das IFRS é muito importante para que possamos estar em sintonia com as principais mudanças que ocorrem no cenário contábil". Segundo ele, muitos profissionais, infelizmente, veem esse processo de convergência como muito distante, orientando, de forma inadequada, os seus clientes. "Este Seminário tem a característica de formar multiplicadores para que esse conhecimento seja propagado", afirma Carneiro.
Vale ressaltar que a exigência não está restrita apenas a grandes empresas, a companhias abertas e a instituições financeiras, mas, também, a pequenas e médias empresas que, mesmo sendo de capital fechado, estejam obrigadas pelo Código Civil a apurar suas demonstrações anuais. Atualmente, 110 países e cem milhões de pequenas e médias empresas no mundo adotam as IFRS. Diante dessa realidade, é importante ressaltar que, no Brasil, onde 99% das companhias são micros, pequenas e médias empresas, os profissionais contábeis estejam preparados para assumir o seu papel nesse processo e, principalmente, apresentando as vantagens de se manter a contabilidade de acordo com as normas internacionais.
As normas internacionais de contabilidade começaram a ser exigidas no Brasil a partir deste ano. O processo, no entanto, trouxe uma série de desafios e oportunidades para os contabilistas brasileiros que, segundo dados do Conselho Federal de Contabilidade, atingem a marca de 439 mil profissionais e 75 mil organizações contábeis. "Vários paradigmas estão sendo quebrados, entre eles, as alterações na estrutura do balanço patrimonial, fluxos de caixa, notas explicativas, ajuste a valor presentes", afirmou o presidente do CFC.

Para Nereu Martinelli, presidente da Martinelli Auditores, "o processo de adoção das IFRS para as PMEs é irreversível e toda empresa, baseada em assuntos contábeis, tem a responsabilidade de conhecer o processo de convergência", destacou.
O Seminário IFRS para Pequenas e Médias Empresas foi idealizado pelo Conselho Federal de Contabilidade, pelo Conselho Regional de Contabilidade de Santa Catarina e Martinelli Auditores e contou com o apoio da Fundação Brasileira de Contabilidade (FBC), Sescon de Santa Catarina, Grande Florianópolis e Blumenau, Fecontesc e do Sindicato de Contabilistas de Joinville.
Compuseram a mesa de honra, Gilda Nessler (Sindicont Joinville); Jandival Ross (Fecontesc); Elias Nicoletti Barth (Sescon SC); Alfredo Hirata (Martinelli); Sergio Faraco (presidente CRCSC) e o presidente do CFC, Juarez Domingues Carneiro.
IFRS 026


Para saber mais
O IFRS é adotado por mais de 110 países ao redor do mundo e o Brasil está inserido neste processo. Toda essa mudança de paradgima abrange profissionais que estão ligados direta ou indiretamente nas áreas contábeis ou financeiras como contadores, administradores de empresas, economistas, advogados e tecnólogos da informação.
As Normas Internacionais de Contabilidade (International Financial Reporting Standards), representa um conjunto de princípios contábeis considerados como princípios de alta qualidade quanto à transparência, objetividade, forma como reflete as transações e comparabilidade entre as empresas que o adotam ao redor do mundo
Para o Brasil, a adoção das normas traz benefícios internos e externos. No campo externo, a adoção insere o País no contexto econômico mundial, ajudando a internacionalizar empresas e negócios. Internamente, com a criação do Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), as normas regularizam e normatizam as características contábeis das empresas e faz a intermediação do debate entre representantes de todos os segmentos do mercado brasileiro - governo, iniciativa privada e órgãos acadêmicos.
Os próximos Seminários serão realizados em São Paulo, 29 e 30 de novembro; Manaus, 2 e 3 de dezembro; e Recife, 9 e 10 de dezembro. Mais informações podem ser obtidas no site do CFC (www.cfc.org.br).
Fonte: CFC

Brasil pode garantir mais produtividade às pequenas empresas

Notícias

Diretor do Sebrae alerta para a oportunidade que o País tem de qualificar melhor os pequenos negócios e aumentar sua competitividade

Tecris de Souza

Bernardo Rebello

Carlos Alberto dos Santos fala em Brasilia a gestores do Sebrae em 13 estados

Brasília - “O futuro dos pequenos negócios depende, em grande parte, do encadeamento produtivo, que vai crescer dentro e fora do País.” A declaração foi feita nesta segunda-feira (25), pelo diretor-técnico nacional do Sebrae, Carlos Alberto dos Santos, ao destacar que não se trata de modismo e sim de um salto qualitativo num processo que envolve muitos parceiros.

Ele abordou o tema na abertura da 1ª turma de Formação de Gestores e Consultores em Encadeamento Produtivo, que acontece até o próximo dia 29, em Brasília (DF). Na platéia, gestores do Sistema Sebrae de 13 estados e do Distrito Federal, além de consultores e parceiros da instituição.

“É um processo muito complexo, requer muito trabalho, não é fácil nem trivial”. O Sebrae, segundo Carlos Alberto, deu uma grande contribuição à formalização de trabalhadores por conta própria, à melhoria na gestão das empresas e na abertura de novos negócios. “Aqui, muda a qualidade”, disse ao destacar que uma empresa de pequeno porte certificada para atender à demanda de uma grande empresa terá condições de competitividade no Brasil e no exterior.

Para isso, prosseguiu, não se pode permanecer com a visão dos pequenos negócios descolada do restante da atividade empresarial. “É preciso o entendimento de que a economia é uma só”, disse Carlos Alberto, ao questionar a falsa percepção de uma dicotomia predominante entre grandes e pequenas empresas. Há problemas estruturais para os quais haverá solução somente se forem tratados no âmbito das políticas públicas. No dia a dia, é o mercado que demanda e orienta a ação das empresas, acrescentou o diretor do Sebrae.

O desafio, conforme Carlos Alberto, está em “caminhar para o padrão de país desenvolvido”. Há condições para o País evoluir no atual ciclo de desenvolvimento sustentado, uma vez que não faltarão energia e as restrições relacionadas ao balanço de pagamentos foram superadas, o que favorece a expansão da economia brasileira no contexto mundial.

Hoje, as pequenas empresas respondem por 52% dos empregos e por 20% do PIB. Na Itália, por exemplo, elas garantem 68,5% dos empregos e 55,6% do PIB. O crescimento da economia brasileira com a geração de mais emprego e renda é bem-vindo a toda a sociedade, mas o País ainda precisa garantir ganhos de produtividade, à exemplo de países como Alemanha, Suécia, Holanda, Portugal, Espanha e Grécia.

O encadeamento produtivo é uma resposta viável para que as empresas brasileiras de pequeno porte se tornem mais competitivas. “Com certificados de qualidade e segurança jurídica para fornecer às grandes empresas, como a Petrobras, aquelas de pequeno porte terão padrão de qualidade que as qualificarão com fornecedoras em qualquer parte do planeta”, prevê o diretor do Sebrae.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias: (61) 2107-9106, 2107-9110, 8118-9821, 9977-9529
www.agenciasebrae.com.br
Central de Relacionamento Sebrae - 0800 570 0800

Fonte: Agencia Sebrae

 

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Fisco notifica e ameaça tirar empresas do Simples

Notícias

Folha de Londrina-PR

Folha de Londrina / PR

Prazo para acerto de contas vai até o dia 20 de novembro, após esta data devedores ainda podem quitar dívidas, mas ficam excluídos do regime em 2011

As empresas que optaram pelo Simples Nacional e têm dívidas com o fisco municipal, estadual ou federal precisam regularizar sua situação o quanto antes para não serem excluídas do regime tributário. Prefeitura, Receita Estadual e Receita Federal já estão notificando as empresas com pendências e os prazos para o pagamento da dívida estão ficando apertados.

A regional de Londrina da Receita Estadual notificou 99 empresas que juntas estão devendo cerca de R$ 3 milhões em tributos estaduais. '"Elas têm até 20 de novembro para entrar em contato e regularizar sua situação, do contrário serão excluídas e perderão os benefícios deste regime durante todo o ano de 2011", alerta o inspetor regional de arrecadação, Mauro Luis Correia Rocha.

O que chama a atenção da RE, segundo Rocha, é o fato de muitas empresas terem dívidas pequenas que poderiam ser facilmente regularizadas. '"São dívidas de menos de R$ 1 mil. O custo de perder o benefício do Simples vai gerar um custo muito grande para a empresa que terá de voltar ao regime normal de tributação durante um ano'", afirma.

A Secretaria da Fazenda de Londrina começou na semana passada o levantamento das empresas com dívidas com o município e tem até o dia 31 deste mês para apresentar a lista dos CNPJs das empresas devedoras para exclusão do Simples. Até ontem a prefeitura ainda não tinha uma previsão do número de empresas devedoras e do volume da dívida. No entanto a gerente do cadastro de tributos mobiliários, Elza Nagayama, adiantou que o número deverá ser considerável já que qualquer tipo de pendência com o município é motivo de exclusão do regime, incluindo IPTU atrasado. A Secretaria já listou para exclusão do Simples 206 empresas por falta de alvará.

Os maiores números continuam sendo os da regional local da Receita Federal que notificou 8 mil empresas, avisando que podem ser excluídas se não regularizarem suas pendências com os tributos federais até dezembro. Juntas elas devem mais de R$ 43 milhões aos cofres da União. As empresas que não resolverem suas pendências com o fisco deixarão de estar no Simples a partir de janeiro 2011, e apesar de continuarem podendo regularizar sua situação, só poderão voltar ao regime no ano tributário de 2012.

'"A Receita Federal não quer excluir nenhuma empresa. É importante lembrar que o Simples Nacional é resultado de uma determinação da Constituição onde é uma obrigação do Estado atuar como facilitador do desenvolvimento e continuidade das micros e pequenas empresas. Por isto estamos notificando com tempo suficiente para que as empresas possam regularizar sua situação'", reforça o delegado da Receita Federal, Sérgio Gomes Nunes.

O advogado tributarista e consultor do Sescap-Londrina, Paulo Pimenta, lembra que o Simples Regional é o regime tributário menos oneroso que existe no País. Englobando até oito impostos em uma única alíquota. Dependendo da classificação da empresa, o regime reduz significativamente o montante a ser pago, permitindo que estas empresas ganhem fôlego para se tornar competitivas e crescer. Para se ter uma idéia, estando dentro do Simples Nacional uma empresa da área do comércio, por exemplo, tem uma economia de até 27, 3% sobre a folha de pagamento.

'"As empresas precisam agilizar sua regularização. Se cumprir as obrigações fiscais do Simples é difícil, imagine o que vai significar para as empresas que perderem este benefício arcar com o peso da tributação normal?", argumenta o presidente do Sescap Londrina, e empresário da contabilidade, Marcelo Esquiante. Ele considera preocupante ver o número de empresas do Simples inadimplentes e teme que isto acabe se tornando um obstáculo a mais para sua continuidade. Lembra que além de correrem o risco de serem excluídas, estas empresas do Simples com dívidas pendentes já perderam alguns privilégios do regime, como ter prioridade em concorrências públicas em caso de empate.

Fonte: Sindicato das Empresas de Consultoria, Assessoria, Perícias e Contabilidade de Londrina (Sescap-Ldr) - www.fenacon.org.br.

Fonte: CFC

 

Portal vai disseminar ações do Comitê do Fórum Permanente das MPE

Notícias

Ferramenta servirá de matriz de capacitação para empresários de todo o País

Tatiana Alarcon

Brasília - O Comitê Temático Rede de Disseminação, Informação e Capacitação lança, no dia 8 de dezembro, o Portal do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. O portal é uma das ações que fazem parte das diretrizes do Grupo de Trabalho da Rede e que deverão compor a agenda de trabalho e a formulação de políticas públicas para o setor.

O portal, apresentado durante a reunião do Comitê na quarta-feira (20), em Brasília, vai trazer notícias, normas e documentos relativos ao Fórum, além de uma página que reunirá todas as informações dos cursos e capacitações oferecidas aos empreendedores pelas entidades participantes nas áreas de comércio exterior, compras governamentais, finanças, inovação e gestão.

Enio Pinto, gerente da Unidade de Atendimento do Sebrae e coordenador do grupo, destacou a importância do site como uma ferramenta que servirá de matriz de capacitação para empresários de todo o País. “Precisamos fortalecer os empreendedores, que são os verdadeiros gestores dos pequenos negócios. Por isso, é necessário apoio de todas as instituições participantes no trabalho de acompanhar as ações para que possamos cumprir com a missão de divulgar e disseminar as informações como um todo”, diz.

Para o diretor de Micro, Pequenas e Médias Empresas do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e secretário técnico do Fórum Permanente das MPE, Sérgio Nunes, o site servirá de referência para as ações discutidas e implantadas em prol das empresas. “O portal vai significar um grande avanço para o setor. Afinal, de nada adianta fazer políticas públicas se as ações não chegam ao nosso público”, afirma.

Financiamento

Durante a reunião seguinte, também na quarta-feira (20) do Comitê Temático de Financiamentos e Investimentos, o assessor do Departamento de Normas do Sistema Financeiro do Banco Central, Edélnio Cardoso, fez uma apresentação aos participantes da nova Resolução publicada em 30 de setembro de 2010, sobre o Custo Efetivo Total (CET) para Pessoas Jurídicas.

A resolução, que terá vigência a partir de 2 de maio de 2011, obriga os bancos a informarem previamente às microempresas e empresas de pequeno porte o Custo Efetivo Total das operações de crédito e financiamento. O CET incorpora todos os custos da operação, sejam eles juros, tarifas, IOF e seguros, entre outros.

A resolução é uma grande vitória do Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, que desde 2008 vinha articulando com o Banco Central uma iniciativa que permitisse ao cliente escolher a instituição financeira que melhor atendesse as suas conveniências. “A medida aumenta a transparência entre as operações, proporciona o aumento da concorrência entre as instituições financeiras e possibilita a redução das taxas praticadas no mercado”, diz o especialista.

Conjugação de esforços

Criado em 1999, o Fórum Permanente das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte é presidido pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge, e tem por objetivo propor debates e conjugar de esforços entre o governo e o setor privado para a consecução de ações e de políticas públicas orientadas às microempresas e empresas de pequeno porte. O Fórum se reúne bimestralmente nas reuniões ordinárias dos Comitês Temáticos e nas reuniões extraordinárias sempre que convocado pela Secretaria Técnica.

O Sebrae é parceiro do MDIC na formulação e execução de medidas, ações e políticas públicas orientadas às microempresas e empresas de pequeno porte.

Serviço:
Agência Sebrae de Notícias: (61) 2107-9106, 2107-9110, 8118-9821 e 9977-9529
www.agenciasebrae.com.br
Central de Relacionamento Sebrae – 0800 570 0800

Fonte: Agência Sebraee

Seminário mostra como vender na internet

Notícias

Sebrae apoia capacitação em comércio eletrônico para donos de micro e pequenas empresas

Isabel Vilela

Brasília- Empresários de todo o Distrito Federal podem se inscrever gratuitamente para participar do III Seminário de Comércio Eletrônico para Micro e Pequena Empresa, que será realizado amanhã (26), no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial, na 903 Sul, das 8h às 18h, numa realização da Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (Camara-e.net), com patrocínio do Sebrae e Correios, com o apoio do Sebrae no Distrito Federal.

O objetivo do evento é mostrar aos empresários o que é o comércio eletrônico e quais as ferramentas necessárias para colocá-lo em prática. “Esse é um nicho de mercado que está crescendo muito. Trata-se de uma grande oportunidade de negócio. Os segmentos empresariais na web são os mais diversos. O empresário que tem seu negócio físico também pode ter na internet uma loja aberta 24 horas”, destaca o analista do Sebrae no Distrito Federal, James Hilton Reeberg.

Os palestrantes do seminário são representantes de diversas empresas relacionadas ao comércio eletrônico, como Embratel, Intel, Verisign, UOL, Bradesco, CobreBem, PagSeguro, Correios, ClearSale, Buscapé e AIB Brasil. Além de realizar palestras durante o evento, as empresas esclarecerão dúvidas e poderão fechar negócios com os participantes em estandes montados no espaço.

Economia digital

De acordo com uma pesquisa realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomércio) em parceria com a empresa E-bit, o comércio eletrônico faturou no Brasil de janeiro a julho deste ano R$ 7,8 bilhões. O número é superior ao total de vendas de todos os shoppings da Grande São Paulo no mesmo período, estimado em R$ 7,2 bilhões.

O Seminário de Comércio Eletrônico para Micro e Pequena Empresa faz parte do Ciclo MPE.net, um dos maiores eventos de capacitação sobre a economia digital do País, realizado em diversas cidades brasileiras, com um público médio de 300 empresários por evento.

As inscrições podem ser feitas, gratuitamente, pelo link http://www.sebrae.com.br/uf/distrito-federal/ciclo-mpe-net/ciclo-mpe-net ou no http://www.ciclo-mpe.net/cadastro.aspx?evento=37.

Serviço

III Seminário de Comércio Eletrônico para Micro e Pequena Empresa - Ciclo MPE.net DF - 2010

Data: 26 de outubro de 2010
Horário: 8h às 18h
Local : Senac/DF 903 SUL - Auditório
Inscrição gratuita
Mais informações e inscrições:
http://www.sebrae.com.br/uf/distrito-federal/ciclo-mpe-net/ciclo-mpe-net
ou no http://www.ciclo-mpe.net/cadastro.aspx?evento=37

Fonte: Agência Sebrae